5 de out de 2011

A volta dos que não foram

Sempre gostei de escrever. Acho que por sempre gostar de falar, mas de falar de um jeito diferente. Falar de boca fechada. Já criei alguns blogs, todos por impulso. Nunca me perguntei porquê escrevo, pra quem ou por quem escrevo, sobre que deveria escrever. Comecei a me perguntar essas coisas, nesse, dentre vários outros, último intervalo de tempo em que não escrevia nada.

Senti falta... Sei que nunca levei jeito, mas seguindo o exemplo de vários outros assuntos, como futebol e geografia, isso não é motivo pra eu deixar de fazer. Afinal, nunca fiquei sem estudar (mentira) e nem sem correr atrás da redonda. Mas não sei se voltei, mais uma vez. Sei que hoje me sinto livre pra fazer textos como esse quando eu quiser ou puder. E parece que vai ser assim daqui pra frente.

Eu tenho uma vontade enorme de escrever sobre muitas coisas. Tenho vontade de escrever sobre pessoas, sobre uma vida desconhecida, meu amor pelo Vasco, sobre Deus, e lágrimas, talvez. Não sei se realmente vou fazer tudo isso, mas sempre vou pensar antes em no porquê de cada texto. Senão, onde estaria a graça? De que modo eu me justificaria?

Apesar de tudo, ainda não sei pra que servirão os textos, espero descobrir isso quando terminar cada um. Sei pra que eles não servirão. Acho que isso já é o bastante pra recomeçar...

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Apontando ...